sábado, 7 de novembro de 2009

Uma visão geral das variantes do Ubuntu 9.10


O aguardado Ubuntu 9.10 foi lançado conforme o planejado na semana passada. Para o benefício dos leitores novatos no mundo Linux que possam estar perdidos em meio ao grande número de opções disponíveis, eis uma breve recapitulação da linha de lançamentos oficiais.

An overview of Ubuntu 9.10 variants
Autor original: Ladislav Bodnar e Jesse Smith
Publicado originalmente no:
distrowatch.com
Tradução: Roberto Bechtlufft

O aguardado Ubuntu 9.10 foi lançado conforme o planejado na semana passada. Para o benefício dos leitores novatos no mundo Linux que possam estar perdidos em meio ao grande número de opções disponíveis, eis uma breve recapitulação da linha de lançamentos oficiais.

O produto principal é chamado simplesmente de Ubuntu. Trata-se de uma distribuição Linux original lançada há apenas cinco anos. Na época, poucas pessoas acreditavam que o Ubuntu viria a se tornar um participante de tanta importância no mundo Linux. Bem no começo, o Ubuntu era o único produto da linha, e embora tenha dado origem a diversas variantes oficiais algum tempo depois, o original continua sendo o mais popular de todos os *buntus. Essa é a versão que a maioria dos novatos no Linux devem considerar em sua primeira tentativa de instalação e uso do sistema — a interface de usuário do GNOME no Ubuntu é fácil de usar e inclui várias melhorias para ajudar quem está começando, exigindo pouco treino.

ubuntu

Ubuntu 9.10

Além do desktop Ubuntu padrão, há uma variante especial desenvolvida para netbooks, os populares minicomputadores, como o ASUS Eee PC, o Acer Aspire One e outros. Essa variante, o Ubuntu Netbook Remix, otimiza o desktop e o layout da tela para as telas pequenas da maioria dos netbooks. Ele sacrifica partes da barra de título de cada aplicativo para exibir ícones de aplicativos abertos, além da bandeja do sistema, fazendo com que a área de trabalho seja altamente eficiente em termos de espaço. Além disso, a tela inicial oferece acesso rápido e fácil a todos os aplicativos disponíveis. Essa versão é distribuída como uma imagem ISO (ao contrário da versão 9.04, lançada como um arquivo IMG), o que significa que os usuários interessados em instalá-la a partir de uma unidade USB vão ter que converter a ISO primeiro, usando o utilitário Criador de disco USB inicializável do próprio Ubuntu.

ubuntu-netbook

Ubuntu Netbook Remix 9.10

O Kubuntu é provavelmente a variante mais popular do projeto. O ambiente de desktop principal é o KDE, um projeto de software livre que há anos compete com o GNOME e tem uma abordagem diferente diante para a computação nos desktops: ele é bem mais personalizável do que o GNOME e sua versão mais recente foi uma tentativa bastante radical de redefinir o desktop. Talvez nesse ponto ele tenha encontrado alguma resistência da parte dos usuários da antiga, mas se você não simpatizar com o GNOME ou se estiver interessado em experimentar algo diferente, o Kubuntu certamente será uma escolha interessante.

kubuntu

Kubuntu 9.10

O Kubuntu Netbook Remix é uma novíssima variante do Kubuntu. Se você espera que este produto seja apenas um Kubuntu otimizado para telas pequenas, vai ter uma boa surpresa ao descobrir que ele é bem mais do que isso. Em vez de se focar na adaptação dos aplicativos e do ambiente de trabalho para monitores de nove a dez polegadas, o Kubuntu Netbook Remix se concentrou em adaptar a distribuição para a utilidade que a maioria dos usuários de netbook dá ao seu hardware: internet, redes sociais, multimídia e outras formas semelhantes de lazer. Sendo assim, essa variante do Kubuntu é diferente de sua contraparte baseada no Ubuntu, o que é uma surpresa bastante agradável. Certamente vale a pena fazer o download, e como acontece com a maioria dos produtos baseados no Ubuntu, ele pode ser executado em modo live, proporcionando ao usuário uma maneira simples de avaliar a qualidade e a adequação do produto antes de dar a ele um espaço permanente na mídia de armazenamento interna do netbook.

kubuntu-netbook

Kubuntu Netbook Remix 9.10

O Xubuntu parece estar sempre à sombra de seus dois irmãos mais populares. A ideia original era a de que ele fosse uma variante mais leve do Ubuntu, usando o Xfce como desktop padrão, mas ele acabou se tornando uma distribuição bem pesadinha com diversos aplicativos criados com o kit de ferramentas do GNOME. Ainda assim, ele é bem mais leve do que o Ubuntu, e o desktop Xfce se tornou uma alternativa muito agradável e bastante viável aos outros dois pesos pesados. Além disso, o Xubuntu tem sua própria equipe de arte, e ela está sempre produzindo temas impressionantes para o desktop. Se você não gosta do GNOME e do KDE, certamente vale a pena experimentar o Xubuntu — só não espere que ele “voe” em máquinas já meio velhinhas.

xubuntu

Xubuntu 9.10

O Ubuntu Studio, distribuição para entusiastas de multimídia, não oferece uma opção live como todas as outras variantes do Ubuntu. A instalação no disco rígido é feita através de um instalador em modo texto como nos velhos tempos, o que pode afastar alguns usuários em potencial, mas ele conta com um kernel de tempo real — uma necessidade para qualquer sistema de produção de áudio. Esse é provavelmente o maior valor do projeto: seria relativamente fácil montar um sistema semelhante ao Ubuntu comum puxando os aplicativos necessários de seus repositórios, mas a integração dessa funcionalidade especial do kernel em uma distribuição pronta pode poupar muito tempo. O longo download do DVD vale a pena se você for um músico ou editor de áudio e vídeo, profissional ou aspirante.

studio

Ubuntu Studio 9.10

Como o nome sugere, o Mythbuntu é uma distribuição especializada, desenvolvida para PCs com home theatre. Ele integra o software de central de mídia MythTV ao Ubuntu, e com o painel de controle gráfico que oferece fica muito fácil configurar um computador como servidor de mídia ou reprodutor de mídia (ou ambos). A mudança mais significativa nesta versão talvez seja a atualização para o MythTV 0.22, com suporte melhorado a hardware, interface de usuário redesenhada e a mudança para a biblioteca Qt 4.x.

mythubuntu

Mythbuntu 9.10

Com a versão 9.10, o Edubuntu volta a ser uma distribuição, no sentido verdadeiro da palavra. Essa distro, que é um sistema operacional desenvolvido especificamente para escolas e que inclui opcionalmente o servidor LTSP, evoluiu e se tornou uma ferramenta que atende a diversos propósitos em vários cenários de implantação e públicos-alvo, incluindo crianças, estudantes, professores, pais e administradores de servidores escolares. Além disso, o Edubuntu agora também funciona como DVD de instalação e live DVD, e os usuários podem testar o produto sem compromisso. Se você não usa o Edubuntu desde que ele deixou de ser uma espécie de “complemento” de distribuição, provavelmente vai ter uma grata surpresa — esta versão é um produto mais completo em recursos do que todas as versões antigas. A equipe do Edubuntu fez um trabalho excelente!

edubuntu

Edubuntu 9.10

Aí estão oito edições diferentes daquele que é, essencialmente, o mesmo produto. E nem contamos a edição oficial para servidores e o crescente número de “remixes” não oficiais do Ubuntu feitos por terceiros, voltados para uma ampla variedade de tarefas altamente específicas. Fale a verdade: o mundo do software de código aberto não é muito mais flexível do que o do software proprietário?

Créditos a Ladislav Bodnar e Jesse Smith - http://distrowatch.com
Tradução por Roberto Bechtlufft

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Ubuntu 9.10


Software Center

O acesso instantâneo a milhares de aplicações de código livre e aberto.

As categorias incluem educação, jogos, som e vídeo, gráficos, programação e Office.

Basta selecionar os aplicativos que você deseja utilizar o Ubuntu e Software Center irá adicioná-los ao seu computador.

No CD, sem licenças, sem complicação.

Email and chat

Bate-papo com amigos e colegas por meio da empatia que integra a Yahoo, Gmail, MSN, Jabber, AOL, QQ e muitos mais.

Evolução dos e-mail, um catálogo de endereços e calendário que funciona bem com seus colegas e amigos usando o MS Outlook.

Browse the Internet

O Ubuntu inclui o Mozilla Firefox 3.5 para a navegação mais rápida e segura.

Para a escolha de outros navegadores web open-source visite o Ubuntu Software Center e faça a sua escolha.

Photos

Upload de sua câmera ou telefone para o F-Spot.

Gerenciar, sim, partilhar e classificar suas fotos.

Upload facilmente à sua rede social favorita ou sites de compartilhamento de fotos, incluindo Flickr, Facebook, Picasa e muitos outros.

Music and videos

Ligue o seu PSP, player, iPod e MP3 uso Rhythmbox para transferir, armazenar, comprar e tocar música.

Compartilhar playlists com seus amigos.

Last.fm acesso diretamente através Rhythmbox para transmitir a sua música favorita.

Fluxo e reprodução de vídeo do YouTube, BBC e outros.

Office applications

Crie documentos profissionais, planilhas e apresentações com o OpenOffice.org 3.1.

O OpenOffice.org é compatível com todos os aplicativos do Office, incluindo o Microsoft Office.

A grande diferença é que o OpenOffice.org é livre (e nunca promete introduzir Clippy).

Play games

Mais de 400 jogos completamente livres e legais.

Visite o Ubuntu Software Center para navegar, selecionar e instalar jogos de sua preferência.

Store, sync and share

Integrado "Ubuntu One" tecnologia que oferece 2 GB de armazenamento online gratuitamente.

Facilmente você compartilha arquivos entre seus próprios computadores e seus amigos.

Upgrade de baixo custo para mais armazenamentos, on line.

Accessibility

No cerne da filosofia Ubuntu é a crença de que a computação é para todos, independentemente das suas circunstâncias. O Ubuntu é um dos sistemas operacionais mais acessíveis do mundo e é totalmente traduzido para 23 línguas.

fully translated into 23 languages with many more to follow.


sábado, 31 de outubro de 2009

"Washington Post diz “Use Linux para evitar fraude Bancária”
linuxbank.pngO colunista de segurança Brian Krebs do Washington Post, recomendou que os clientes bancários considerem o uso de um LiveCD do Linux no lugar do Windows para acesso ao banco online. Ele conta a história de duas empresas que perderam respectivamente U$100.000 e U$447.000, quando o ladrões armados com malwares no PC de um funcionário das empresas foram capazes de interceptar um log do responsável pelo acesso às contas, Krebs ainda observa que ele não está sozinho em recomendar o uso de máquinas não-Windows para uso do home banking ; O Centro de Informações e Análises Financeiras, um grupo da indústria apoiada por alguns dos maiores bancos do mundo, publicou recentemente diretrizes instruindo as empresas a realizar todas as atividades bancárias on-line a partir de uma máquina dedicada a isso rodando Linux Krebs conclui seu artigo com um link para uma coluna anterior em que ele ensina leitores a usar um LiveCD Linux para acessar suas contas com segurança.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Revista Espírito Livre #007

Revista Espírito Livre - Ed. #007 - Outubro 2009

Revista Espírito Livre - Ed. n #007 - Outubro 2009
Revista Espírito Livre - Ed. n #007 - Outubro 2009

Estes últimos meses estão realmente dando uma canseira na equipe da revista! Este então… mas não podemos parar e como homenagem ao mês do professor, aquele profissional que mata um leão a cada dia, esta edição da Revista Espírito Livre traz como tema de capa Software Livre na Educação, apresentando em sua maioria matérias de cunho educacional, ora tratadas pelos nossos colunistas já consagrados, ora por convidados.

Será que é possível utilizar o software livre aliado à educação? Quais softwares usar? Como são as experiências de quem já os utiliza? Buscamos nesta edição apresentar respostas firmes e diretas sobre estas e muitas outras indagações que permeiam o meio educacional/acadêmico.

Como entrevistados, esta edição teve o prazer de conversar com Bruno Coudoin, criador do Gcompris, talvez a suite educacional em código aberto mais presente nas distribuições GNU/Linux com algum tipo de apelo a educação. Também conversamos com Bill Kendrick, criador do TuxPaint, outro software amplamente utilizado nas distribuições GNU/Linux. Ambos softwares, que também são encontrados com versões para outras plataformas, mas foram consagrados no sistema do pinguim, apresentam para o novo usuário (também de idade) um jeito diferente de aprender, amparados por uma comunidade em constante mudança. Nossos colunistas fixos também pegaram carona no assunto de capa e debulharam o tema, cada um a sua maneira, enriquecendo ainda mais esta seara que tanto se fala, e tanto se tem a falar. Alexandre Oliva pega no pé daqueles que acreditam que é possível ter software privativo no ambiente educacional, enquanto Juliana Kryszczun fala das Universidades e o software livre, um caminho também abordado por Taurion que também cita o meio acadêmico. Sinara Duarte, Vanessa Nogueira e Roberto Salomon também costuram bem o assunto de capa, apresentando seus pontos de vista em temas relevantes. Tivemos participações especiais, convidados que vieram agregar ainda mais conhecimento com suas experiências, como é o caso de Karla Capucho que fala sobre colaboração, educação e software livre e Jonsue Trapp Martins fala do Paraná Digital, o projeto de inclusão digital das escolas estaduais do Paraná.

Inauguramos também uma nova coluna do Cárlisson, a Warning Zone, que apresenta uma história interessante, que terá sua continuação nas próximas edições. Luiz Eduardo encerra sua série de artigos sobre Computação Gráfica e Software Livre.

Mas isso não é tudo, várias outras matérias que não ligadas à educação também recheam a edição deste mês. Virtualização, NetBSD, xenofobia e TCOS são apenas alguns deles. A seção de cartas, bem como a relação de ganhadores das promoções vigentes também estão presentes. A revista continua premiando os leitores que acompanham nos acompanham pelo Twitter, Identi.ca e demais veículos, então não fique atento, pois novas promoções sempre estão pipocando nestes lugares. No site oficial da revista [http://revista.espiritolivre.org] você também fica sabendo das novidades e tudo que rola na revista.

Agradecemos a todos que não foram citados acima e convidamos cada vez mais aos leitores a participar da criação de uma publicação de excelência, com material de qualidade e competente no que se destina a fazer. Como dito na edição passada, apresentamos um modelo de colaboração onde todos podem participar de alguma forma e isto nos torna únicos. Faça parte você também!

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Chegou...



* O Ubuntu sempre será gratuito, incluindo a empresa lançamentos e atualizações de segurança.
* O Ubuntu vem com o pleno apoio comercial da Canonical, e centenas de empresas ao redor do mundo.
* O Ubuntu inclui as melhores traduções e infraestrutura de acessibilidade que a comunidade de software livre tem para oferecer.
* O CD do Ubuntu possui apenas Software livre, nós encorajamos você a usar software livre e de código aberto, melhorá-lo e transmiti-lo.

Linux Magazine Especial

LME 03 | VoIP com Asterisk

Essa edição aborda as tecnologias e soluções VoIP disponíveis para que você equipe sua empresa com o que há de mais moderno, eficiente e amigável, além de barato, é claro. Aprenda a instalar e configurar um servidor Asterisk com os principais recursos: Discagem Direta para Ramais – DDR –, Unidade de Resposta Automática – URA –, Distribuição Automática de Chamadas – DAC –, filas de atendimento, caixa postal de voz, planos de discagem e muito mais.

Também entrevistamos os executivos dos maiores fornecedores de equipamentos e das principais operadoras VoIP para você ficar a par de suas estratégias de mercado e descobrir qual se alinha melhor aos objetivos da sua empresa.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Palm cancela parceria de três anos com a Microsoft – em favor do Linux

Publicado em 20/09/2009 às 20:38

O diretor executivo da Palm, John Rubinstein, confirmou recentemente em uma entrevista a decisão da empresa em se concentrar exclusivamente no desenvolvimento de aparelhos equipados com o webOS, sistema baseado em Linux criado pela Palm. É o fim de uma parceria de três anos com a Microsoft e do uso do Windows Mobile em celulares da Palm.

O comunicado foi feito um dia após a Palm anunciar ter superado a receita prevista para o primeiro trimestre fiscal de 2010, em um claro sinal de recuperação da empresa. Os analistas atribuem o crescimento da receita e dos lucros ao grande sucesso do smartphone Palm Pre, equipado com o sistema webOS, baseado em um kernel Linux. Com ele, as vendas neste semestre fiscal aumentaram 134% (num total de 823 mil unidades) em relação ao trimestre anterior — embora permaneçam 30% inferiores ao mesmo período do ano passado.

Palm Pre
Figura 1: O Palm Pre é o primeiro smartphone da pioneira Palm equipado com o webOS, novo sistema operacional de código aberto da empresa — baseado em Linux. Esse sistema é a aposta da Palm para retomar a posição de liderança ocupada pela empresa no passado.

“Estamos progredindo significativamente na transformação da Palm, e nossa cultura de inovação é mais forte do que nunca. Estamos lançando outros ótimos produtos Palm webOS com mais operadoras e voltando nossa atenção ao crescimento”, afirmou ainda o diretor e CEO da Palm.

Iniciada com o smartphone Treo 750v, a parceria com a Microsoft durou três anos. Agora, a Palm volta a produzir seu próprio sistema operacional.

Blu-ray no Linux: Nero lança Nero Linux 4 com novos recursos

Publicado em 17/09/2009 às 14:44


A Nero, tradicional fabricante de um dos mais populares softwares de gravação de CDs e DVDs para plataforma Windows, acaba de lançar o Nero Linux 4, a mais recente versão de seu aplicativo para Linux. A versão 4 inclui um novo aplicativo, o Nero Linux Express 4, desenvolvido para atender às necessidades de usuários Linux com diferentes níveis de conhecimento. Com isso, a Nero expandiu seu portfolio Linux com o Nero Linux 4 Essentials, oferecendo soluções também para parceiros OEM.

Após a instalação, tanto o Nero Linux 4 quanto o Nero Linux Express 4 podem ser executados individualmente, segundo a preferência do usuário. Por um lado, para iniciantes, a interface fácil de usar e baseada em assistentes (na versão Express) guia o usuário pelos passos necessários para realizar a gravação. Por outro lado, o Nero Linux 4 oferece suporte avançado a áudio e dados, bem como opções, ferramentas e configurações para cópia e gravação de CDs e DVDs.

“A Nero tem suas raízes em soluções de mídia digital avançadas”, afirmou Kris Barton, vice-presidente executivo de produtos globais da Nero AG. “Com o lançamento do Nero Linux 4, estamos reforçando essa liderança, ampliando nosso comprometimento com a interoperabilidade de plataformas e permitindo que todos os usuários possam personalizar e maximizar sua experiência de mídia digital”.

O Nero Linux 4 é o único aplicativo comercial para Linux a suportar a gravação de mídias Blu-ray. Os usuários têm acesso a opções como o sistema de gerenciamento de erros do Blu-ray, para gravação em alta velocidade, e suporte ao sistema de arquivos ISO 9660 na criação de compilações. Com o isolinux, o Nero Linux 4 também cria live CDs. O Nero Linux 4 ainda oferece suporte aos formatos de áudio Musepack e AIFF, além dos formatos mp3PRO, FLAC e WAV. Além disso, o recurso SmartDetect garante configuração rápida e simplificada das unidades de gravação, e o suporte ao FreeDB facilita o gerenciamento de coleções de músicas.

O Nero Linux 4 está disponível no site oficial da Nero em português e pode ser adquirido na loja online da Nero pelo preço sugerido de US$ 19,99. O Nero Linux 4 Essentials também está disponível para OEMs.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Após ação de hackers, Google pede que usuários de Gmail mudem senha

Google confirmou que mais de 30 mil
nomes deusuários foram publiados online

A empresa de internet Google confirmou que sua ferramenta de webmail - o Gmail - foi alvo de "um esquema de phishing que está atingindo toda a indústria".

A BBC teve acesso a duas listas colocadas na internet com os detalhes de mais de 30 mil nomes de usuários do Gmail e suas senhas.

"Nós recentemente percebemos um esquema de phishing geral, através do qual hackers obtêm informações que dão acesso a contas de e-mail baseadas na internet (webmail), inclusive as do Gmail", disse à BBC um porta-voz da empresa.

"Assim que soubemos do ataque, obrigamos os usuários das contas afetadas a criarem novas senhas. E vamos fazer isso com outras contas cada vez que soubermos de novas tentativas."

Hotmail

"Phishing" é o termo utilizado para caracterizar a prática de usar site e endereços falsos para tentar fazer as pessoas revelarem informações como seus dados bancários ou nome de usuário de contas na internet.

O Google afirmou que o esquema "não foi uma violação da segurança do Gmail", mas sim uma tentativa de "fazer os usuários passarem seus dados pessoais a hackers".

O esquema inicialmente tinha como objetivo atingir apenas usuários do Hotmail, da Microsoft, um dos principais concorrentes do Gmail.

Mais de 10 mil endereços do Hotmail acabaram sendo publicados no site Pastebin, bastante utilizados por profissionais que desenvolvem sites para compartilhar códigos.

Mas uma segunda lista de 20 mil nomes surgiu contendo e-mails e senhas de outros serviços, como o Yahoo, a AOL e o Gmail.

Algumas das contas de email parecem ser velhas, falsas ou apenas não utilizadas. Mas a BBC confirmou que muitas são genuínas.

Ainda não se sabe se a nova lista faz parte do mesmo ataque de phishing que atingiu o Hotmail ou se consiste em outro esquema.

Mesmo assim, especialistas recomendam que os usuários mudem suas senhas assim que possível.

"O ideal é que as pessoas utilizam senhas diferentes para cada site", disse à BBC Graham Cluley, especialista em segurança da Sophos.

Segundo ele, cerca de 40% dos internautas usam a mesma senha para todos os sites em que se registram.

domingo, 4 de outubro de 2009

banner destaque

banners

Santa Maria - Linux Ubuntu e Processamento em Nuvem



Palestrante: Giani Maldaner e Rodrigo Camarão
Data: 21/10/09
Local: Hotel Itaimbé
Organização: SISNEMA

Horário: 19h00 às 22h00

Linux, Ubuntu, software livre, cloud computing,virtualização.
Se você já ouviu falar desses termos, as ainda não sabe de que
forma exata aplicá-los em sua realidade e como eles podem
ajudar no seu futuro na área de TI. Você não pode perder
o mais novo ema promovido pela SISNEMA na cidade
de Santa Cruz. "Linux Ubuntu e Processamento em
Nuvem" é uma reunião de assuntos que estão na cabeça
de quem atua na área de tecnologia e representam o futuro da TI.


AGENDA

1 - Visão geral do Linux
- Linux Server, Linux Rede e desktop

2 - Solução Linux Desktop – Ubuntu
- Apresentando o Ubuntu
- Requisitos de hardware
- Ubuntu x Windows

3 - Explorando o Ambiente do Desktop
- Componentes do Desktop
- Gerenciamento de Aplicações
- Efeitos 3D

4 - Segurança
- Console de Segurança
- Gerenciamento de atualizações
- Firewall
- AppArmor

5 - Soluções Corporativas
- Ubuntu em servidores
- LTS (Linux Terminal Service)
- Virtualização
- Ubuntu Cloud Computing

6 - Formação Técnica em Linux
- Importância do CORE
- Formação de Suporte

7 - Cloud Computing - Criando a sua nuvem
- O Trabalho em TI
- Cloud Computing - O que é?
- Como funciona a solução em nuvem
- Mercado atual de Cloud
- Migração para nuvem
- O que um profissional precisa para atuar na Nuvem
- Preparacao para Nuvem
- Virtualizacao do Servidores, das aplicações e do Desktop
- XEN e o HiperV
- Formações
- Carreira Y plus

PALESTRANTES:
Giani Maldaner - Diretor de Tecnologia
Rodrigo Camarão - Gerente da Divisão de Treinamentos

Local:
Hotel Itaimbé - Rua Venâncio Aires, nº 2741 - Centro - Santa Maria / RS

Informações também podem ser obtidas através do e-mail: eventos@sisnema.com.br





sábado, 3 de outubro de 2009

Artigo traduzido: Tornado e Grand Central Dispatch: uma olhada rápida

Enviado por Julio Cesar Bessa Monqueiro (julioΘgdhpress·com·br):

“Mais uma tradução do LWN.Net, por Roberto Bech, sobre dois “grandes” lançamentos na comunidade do software livre:

“Duas empresas tradicionalmente proprietárias lançaram produtos como código aberto recentemente: o Facebook lançou um framework de aplicativos/servidor web baseado em Python chamado Tornado, e a Apple lançou um sistema de gerenciamento de pools de threads chamado Grand Central Dispatch. Não é a primeira vez que essas empresas lançam código aberto, mas vale a pena examinar os dois projetos. O Tornado foi desenvolvido para atender a tipos específicos de aplicativos web, e dizem que ele é muito rápido, enquanto o Grand Central Dispatch pode fazer alguns desenvolvedores repensarem o paralelismo de tarefas. Por Nathan Willis”

Leia o artigo em: http://www.guiadohardware.net/artigos/tornado-grand-central-dispatch/” [referência: guiadohardware.net]

Canonical Ltd

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

(Redirecionado de Canonical)
Mark Shuttleworth, fundador da Canonical Ltd
Área de trabalho do Ubuntu 9.04, versão mais recente da distribuição Linux.

A Canonical Ltd é uma empresa fundada pelo sul-africano Mark Shuttleworth sediada na Ilha de Man e que trabalha na promoção do software livre. É a responsável pela distribuição Ubuntu do sistema operacional Linux e suas variações (Kubuntu, Xubuntu, Edubuntu e gobuntu), pelo site Launchpad, pelo sistema de controle de versão Bazaar e pelo TheOpenCD.

[editar] Ligações externas




Linux

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Nota: Esta página é sobre sistemas (p.ex., distribuições) que utilizam o núcleo desenvolvido por Linus Torvalds. Se procura pelo núcleo propriamente dito, consulte Linux (kernel).

Linux

Tux.svg
Modelo do desenvolvimento: Open source
Kernel: Monolítico/Modular
Licença: Várias
Estado do desenvolvimento: Ativo
Portal Tecnologias de informação

Linux é o termo geralmente usado para designar qualquer sistema operativo (português europeu) ou sistema operacional (português brasileiro) que utilize o núcleo Linux. Foi desenvolvido pelo finlandês Linus Torvalds, inspirado no sistema Minix. O seu código fonte está disponível sob licença GPL para qualquer pessoa que utilizar, estudar, modificar e distribuir de acordo com os termos da licença.

Inicialmente desenvolvido e utilizado por grupos de entusiastas em computadores pessoais, o sistema Linux passou a ter a colaboração de grandes empresas, como a IBM, a Sun Microsystems, a Hewlett-Packard, Red Hat, Novell, Google e a Canonical.[1]

Índice

[esconder]

O Ubuntu 9.04 chegou!

Inicialização mais rápida.
Os aplicativos mais recentes.
A melhor experiência.

[download]

O que é o Ubuntu?

Ubuntu é um sistema operacional baseado em Linux desenvolvido pela comunidade e é perfeito para notebooks, desktops e servidores. Ele contém todos os aplicativos que você precisa - um navegador web, programas de apresentação, edição de texto, planilha eletrônica, comunicador instantâneo e muito mais.

“Uma pessoa com ubuntu é aberta e disponível aos outros, assistente aos outros, não se sente ameaçada por outros que são capazes ou bons, uma vez que ele ou ela tem uma auto-confiança que vem do saber que ele ou ela pertence a um conjunto maior e é diminuído
quando outros são humilhados ou diminuídos, quando outros são torturados ou oprimidos."

Arcebispo Desmond Tutu

Compromisso Ubuntu

  • O Ubuntu sempre será gratuito, e não cobrará adicionais por uma "versão enterprise" ou atualizações de segurança. Nosso melhor trabalho está disponível para todos sob as mesmas condições.
  • Uma nova versão do Ubuntu é lançada periodicamente a cada seis meses. Cada nova versão possui suporte completo, incluindo atualizações de segurança pela Canonical por pelo menos 18 meses, tudo isto gratuitamente.
  • O Ubuntu possui a melhor infraestrutura de tradução e acessibilidade que a comunidade do Software Livre tem a oferecer, tornando o Ubuntu usável por tantas pessoas quanto for possível.
  • O CD do Ubuntu possui apenas Software Livre, nós encorajamos você a usar software de código aberto, melhorá-lo e distribui-lo.
R$72,00 + frete
720 páginas
Compre o seu

Em 2001 publiquei a edição inicial do livro "Entendendo e Dominando o Linux", que foi sucedida por diversas atualizações, culminando no livro que está atualmente disponível para leitura online. O livro Linux, Guia Prático é um novo trabalho, desenvolvido com o objetivo de transmitir a experiência e os conhecimentos acumulados ao longo de todos esses anos.
Este é um livro de referência, destinado a mostrar detalhes sobre a configuração e uso do sistema, abordando diversas distribuições, incluindo o Mandriva, OpenSUSE, Ubuntu, Debian, Fedora, Slackware e outras. O principal objetivo do livro é mostrar de forma aprofundada como o sistema funciona, de forma que você possa se adaptar às mudanças e seja capaz de utilizar diversas distribuições, sem precisar se prender a apenas uma. Para evitar repetição de temas, cada capítulo aborda diferentes aspectos do sistema, usando como exemplo uma distribuição diferente. A maior parte dos tópicos sobre uso de linha de comando são abordados no capítulo sobre o Slackware, enquanto os tópicos relacionados ao GNOME são concentrados no capítulo do Ubuntu, por exemplo.
R$76,00 + frete
736 páginas
Compre o seu

O livro Redes e Servidores Linux - Guia Prático foi nosso primeiro best-seller, vendendo um total de 8.000 exemplares em suas duas edições. O processo de atualização do livro acabou dando origem a dois livros separados. O livro Servidores Linux, Guia Prático é o segundo livro da série, que complementa o primeiro, oferecendo uma visão aprofundada sobre a configuração de servidores Linux. Assim como nos livros anteriores, existe uma grande preocupação em explicar os temas de forma simples, porém aprofundada, deixando de lado detalhes pedantes e enfatizando as configurações realmente usadas na prática. Os temas são explicados em nível crescente de dificuldade, começando com uma abordagem geral das distribuições Linux popularmente usadas em servidores, com dicas de instalação, de otimização e de administração do sistema, seguida de explicações detalhadas sobre a configuração de cada serviço.
No livro você aprenderá a configurar tanto servidores de rede local quanto servidores dedicados, incluindo a configuração do Squid, Samba, Apache, SSH, LTSP, Postfix, Iptables, Bind, Quota e outros serviços. O livro inclui também capítulos sobre virtualização e sobre hardware para servidores, que complementam as informações abordadas nos demais.